Mudamos para o Canadá

Vista natura da cidade de Toronto

Há exatamente um mês, depois de uma escala de cinco meses em Recife, desembarcávamos no nosso destino: Canadá, mais precisamente na cidade de Toronto. Isso mesmo, mudamos para o Canadá. E os primeiros 30 dias desta nova, e talvez a segunda maior grande aventura de nossas vidas foram intensos, agitados, cheios de novidades e desafios. E sei bem que isso é só o começo de tudo, assim como esse texto será o primeiro da nossa tag “Nós no Canadá”.

Vista natura da cidade de Toronto

Mas vamos iniciar do inicio, hehehehe… Eu já tive sim o sonho de morar fora do Brasil, mas isso foi há muito, mas muito tempo atrás (quis enfatizar mesmo), depois, o sonho era poder proporcionar isso ao nosso filho. Então, o marido achou que não havia motivo de não nos proporcionarmos isso também. Aceitar e chegar até aqui não foi uma decisão fácil, afinal, muita coisa ficaria para trás, teríamos que recomeçar; não do zero, graças a Deus, as oportunidades que construimos ao longo do caminho e ao planejamento muito bem feito, porém, todo recomeço assusta.

Felipinho, eu e Steve, o cachorro, passeando sobre a neve pela primeira vez

Muita coisa ficou para trás?

Sim! Deixamos tudo, mas o mais difícil de foi ficar tão longe da família e dos amigos, além de abrir mão de nossas carreiras, mais ou menos bem estabelecidas, e de várias coisas que conquistamos (falo de coisas materiais mesmo) ao longo de anos de estudo, trabalho e dedicação.

Felipinho e eu andando pelas ruas de Toronto, usando casacos pesados de frio

Mas será que vale mesmo a pena?

Espero mesmo que sim! Afinal, a ideia da mudança, inclusive da escolha do Canadá, foi podermos desfrutar de uma qualidade de vida melhor, inclusive com mais segurança, além de oferecer ao pequeno Felipe a oportunidade de crescer bilingue, ou até trilingue, caso ele goste e resolva aprender francês, também falado por aqui.

Felipinho se balança no parquinho usando roupas de frio e no chão folhas secas

Mas essa não foi sua primeira mudança?

Não, não foi! Aos 18 anos sai do interior do meu Ceará e fui cursar faculdade de jornalismo em Campina Grande, na Paraíba. Lembro-me até hoje de como foi difícil, pois eu era apenas uma menininha, de uma pequena cidade do interior do nordeste. De lá fui para João Pessoa, finalmente uma grande capital, e de lá para Recife, para trabalhar no meu primeiro grande emprego, e concursado. Depois disso tudo ainda teve o Rio de Janeiro, cidade onde vivi a primeira da maior de todas as aventuras (por isso esta de agora ser a segunda): ser mãe de primeira viagem, já bem mais longe da família.

Felipinho olhando a paisagem pela janela do ônibus

Então não foi muito difícil agora, exato?

Errado! Apesar de “já ser do mundo” há quase metade da minha vida (por favor, não façam as contas, hahahaha), essa nova aventura seria diferente de todas as outras, afinal envolve outro pais, outra cultura, outra língua e uma jovem família para se adaptar a tudo.

Felipe pai e Felipe Filho caminham pelas areias do lago usando casacos de frio

Sim, viemos os quatro, e vamos aprender e desbravar esse novo mundo juntos. Aliás, estarmos juntos foi o maior de todos os motivos para tal. Mas como esse post já está comprido por demais, vou deixar para o próximo os detalhes de como fizemos para chegar aqui e como foram os primeiros dias em terras canadenses. Fiquem ligados, hahahahahaha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *