Diário de uma mãe de primeira viagem: desmame

Depois do desmame ele continua a comer tudo, raspando o prato, cmo nessas fotos, que não sobrou nada no prato

O desmame não era algo que já tinha planejado aqui na cabeça, deixei para pensar depois, apenas a minha ideia sempre foi amamentar o pequeno até os dois anos de idade. Essa era a segunda meta, logo após a de amamentar exclusivamente até os seis meses. Essa última consegui facilmente, como contei aqui para vocês, já a primeira, precisei antecipar e, com um ano e dois meses desmamei meu Felipinho.

Tudo começou com a volta ao trabalho, como também falei aqui. Nessa volta, nossas noites que já era difíceis, ficaram impossíveis. Por passar o dia longe, a madrugada ficou para “recuperar nosso tempo longe”. Não dormíamos nem ele nem eu. O cansaço bateu em ambos e então decidi fazer o desmame noturno, deixando só a mamada da manhã, ao acordar, e a da noite, antes dormir. A primeira noite eu não consegui, confesso, na segunda em diante o marido teve de dar aquele apoio para seguirmos adiante.

Nessa nova rotina, acredito também que somado ao estresse por tantas mudanças, o leite começou a diminuir. Fiquei angustiada, o que não ajudou a retomar a produção, ao contrário levou para que secasse por completo. As primeiras noites foram tensas. Muito choro e tristeza de ambas as partes. Precisamos do apoio do papai, sempre necessário.

Depois do desmame ele continua a comer tudo, raspando o prato, cmo nessas fotos, que não sobrou nada no prato

Ao contrário do que li por aí, três dias não foram o suficiente para que ele “esquecesse o pepê”. Precisamos de três semanas inteiras para as coisas voltarem aos eixos. Só então voltei a colocar ele para dormir e fomos criando novos rituais, substituindo a amamentação por músicas, segurar a mão, dormir um pouco sobre o meu peito… Até chegarmos no processo de deixa-lo dormir sozinho. Como estamos atualmente. Algumas noites mais fáceis, outras nem tanto assim, vale ressaltar.

Passados dois meses, confesso sentir saudades do “nosso momento”, mas também admito que ajudou muito para que ele voltasse a dormir a noite toda. Não estou dizendo a ninguém que desmamar vai fazer seu filho dormir a noite inteira, estou apenas colocando que, no nosso caso, isso ajudou muito, trazendo mais tranquilidade para toda a família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *