Sete dias em Paris

Não, paris não é tudo isso que falam… Paris é muito, muito mais!!!

Sempre que me perguntavam: para onde você gostaria de viajar? Ou ainda, qual o lugar que você gostaria de conhecer? Minha resposta sempre era: PARIS. Eu sonhei, desejei e esperei até que… Finalmente, realizei. Foi minha primeira viagem internacional e, passado o medinho inicial, tudo foi simplesmente maravilhoso.

Eiffel, Sena e Notre-Dame
Eiffel, Sena e Notre-Dame
Louvre e Versailles
Louvre e Versailles

Para começar, logo no primeiro dia, no Trocadéro, com a Torre Eiffel ao fundo, me pediram em casamento, de joelhos, com direito a surpresa. Tinha como começar melhor? Lógico que não! E eu, claro, disse SIM. Depois disso, só lugares lindos, comidinhas e vinho, comprinhas (menos do que gostaria, hehehehe) e muita emoção. Ah, ao contrário do que disseram – “sete dias é muito tempo para um único lugar”, eu digo que ainda foi pouco diante de tudo que Paris tem a oferecer.

Quer casar comigo?
Quer casar comigo?

Sim!!!
Sim!!!

Por lá, apesar de ser primavera e está em pleno horário de verão, estava super frio, o dia mais quente fez sete graus, isso para quem é cearense e mora em Recife é quase o Polo Norte, hahahaha… Mas nada que nos abalasse. Igrejas, monumentos, restaurantes e outras cositas mais que estavam no roteiro, fizemos tudo. O roteiro, aliás, falarei mais detalhadamente depois, muito útil para os futuros viajantes.

Quanto à moda. Ah, a moda de Paris e em Paris!!! Muito casaco, alguns de pele (só fake, por favor), os mais variados modelos de bota (cano longo, curto, ankle Boot…), muita sapatilha fofa, as famosas ballerinas, mas a grande vedete nos pés dos mais jovens e das antenadas era o Converse All Star, de vários modelos e cores, do mais básico ao mais fashion.

Converse
Converse

Para carregar suas cosinhas, o must have da mulherada são as bolsinhas tipo box (estruturada, quadrada e à tiracolo); depois vem o modelo Le Pliage da Longchamp – verdadeira febre, de várias cores e tamanhos -; daí muita Vuitton Neverfull, Cèline e Dior nos bracinhos e mãos. Para mim, garanti a Veau Foulonné, na cor Paprika, da Longchamp, lindinha de mamãe!

Le Pliage
Le Pliage

Esta é minha!
Esta é minha!

Quanto ao make, não sei se devido ao frio, as francesas não usavam muita maquiagem. Muita máscara nos cílios, olhos delineados e só. Já as unhas, na maioria uma decepção. Unhas por fazer, cutículas gritando por uma hidratação e esmaltes que pareciam estar lá há pelo menos um mês (eita, exagerada!). Mas o fato é que o frio é cruel mesmo. Lábios, unhas e cabelos sofrem. No segundo dia meu esmaltE já estava uó, mas eu corri, tirei tudo e hidratei bastante as mãos. Outros que tiveram que ganhar doses e mais doses de balm foram meus lábios, os coitados sofreram. Já sofro com eles no dia a dia, mas lá foi muito mais.

No final a sensação eu ficou foi que valeu a pena. Da espera à realização, foi tudo ainda melhor do que sonhei, ficou um gostinho de quero voltar. Muitas fotos para olhar sempre que der aquela saudade, um monte de trequinhos pela casa – tem souvenir na geladeira, na parede no rack…

Comprinhasssssssssssss
Comprinhasssssssssssss

E só tenho mais uma coisinha a dizer: se você quer muito uma coisa, não desista. Trabalhe, corra atrás, faça acontecer, o prazer e a satisfação que você sente são tão imensos que nem todas as palavras conseguem descrever.

Agora que paguei as contas dessa viagem, é juntar dindim para a próxima. Sim, viciei e vou querer uma todo ano, kkkkkkkkkkkkkkkk…

Ah, preparem-se! Em breve teremos mais coisinhas de Paris, incluindo uma surpresa 😉

5 thoughts on “Sete dias em Paris

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: